Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Vídeos

Melody Gardot: “Quando vivi em Lisboa, adotei uma pomba. Chamei-lhe Amália mas depois percebi que era Amálio” [VÍDEO]

“Foi a todo o lado comigo! Levei-o ao Algarve, foi ao [restaurante] 100 Maneiras. Toda a gente gozava comigo”. Com António Zambujo, com quem gravou recentemente um dueto, a cantora norte-americana Melody Gardot esteve à conversa com a BLITZ, em Lisboa, e contou este episódio pitoresco

Rita Carmo

Rita Carmo

Fotojornalista

A cantora norte-americana Melody Gardot esteve à conversa com a BLITZ num hotel lisboeta, junto com António Zambujo, para falar do seu novo álbum "Sunset in the Blue", que inclui não só um dueto com o músico português (intitulado 'C'est Magnifique') como duas canções interpretadas em português: 'Um Beijo' e 'Ninguém, Ninguém'.

Esta não é, contudo, a primeira vez que a artista utiliza o português nas suas canções, tendo, em 2012, gravado para o álbum "The Absence" um tema intitulado 'Lisboa' e outro 'Amalia'. Sobre esta última, Gardot revela que a inspiração foi um pássaro com uma asa partida que adotou depois de o encontrar numa rua lisboeta, durante um período em que viveu na capital portuguesa.

"Andava com o pássaro para toda a parte e toda a gente gozava comigo. Acabei por lhe dar o nome Amália porque era um pássaro de Alfama. Levei-o ao Algarve, foi ao [restaurante] 100 Maneiras. [Mais tarde] percebemos que a Amália não era Amália, era Amálio". Veja o vídeo no topo da página.