Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Vídeos

Paulo Praça

Cesário Alves

EXCLUSIVO: Veja aqui o videoclip de 'À Beira-Mar', de Paulo Praça, em primeira mão [VÍDEO]

É o mais recente single extraído de “Onde”, o ambicioso livro-disco onde Paulo Praça conta com colaborações de Fausto Bordalo Dias e José Cid, e canta Valter Hugo Mãe, José Régio e Ruy Belo, entre outros. “É o meu trabalho mais ambicioso. Para ver aqui, em primeira mão BLITZ

'Beira Mar' é o mais recente single de Paulo Praça, tendo merecido um videoclip que a BLITZ estreia em exclusivo.

A canção faz parte de “Onde”, livro-disco apresentado a 17 de Setembro, em Vila do Conde, no aniversário do escritor José Régio. As letras das canções são de Valter Hugo Mãe, José Régio, Jorge Cruz, Ruy Belo, entre outros, e Praça - que fez parte dos Turbojunkie, Plaza e integrou o projeto Amália Hoje - conta com a colaboração de José Cid e Fausto Bordalo Dias. Produzido por Eurico Amorim e Paulo Praça, conta com um ensaio fotográfico de Cesário Alves. O vídeo que aqui estreamos é da autoria de Paulo Pinto.

Neste álbum, Paulo Praça homenageia a sua Vila do Conde, que o viu nascer em 1971. "É definitivamente o meu trabalho mais ambicioso", afirma à BLITZ. "Começa num quarto de hotel em Nova Iorque, onde componho o refrão do 'Romance de Vila do Conde', de José Régio. E aí nasce a ideia de cantar Vila do Conde. Felizmente a cidade inspirou vários poetas e naturalmente chego ao Ruy Belo, ao José Coutinhas, ao Renato Maia. Há também dois poemas 'encomendados', um ao meu irmão Simão e outro ao Jorge Cruz, e há ainda o meu parceiro de sempre, o enorme Valter Hugo Mãe, que para além de escrever 'Vila do Conde, Vila do Conde' me presenteou com um prefácio maravilhoso", explica.

O projeto ganhou asas. "Convido o Cesário Alves, um amigo de longa data para fazer um ensaio fotográfico, e o Paulo Pinto, que originalmente ía documentar as nossas experiências e que acabou por fazer um vídeo-disco". Já a presença de Fausto e José Cid é, declara Praça, "a concretização de um sonho antigo".

Cantar a terra onde nasceu e cresceu é, entende, uma prova de maturidade: "Acho que o tempo me fez olhar mais para dentro, e quase sem querer dei por mim a fazer algo muito identitário". Recordando a infância, que descreve como "quase perfeita", Praça evoca as brincadeiras de rua, sendo que na canção 'Amor Num Acordeão', o relato de um dia da sua vida, estão "algumas imagens" que conserva. "As tardes de sábado a ouvir música em família e as tardes de domingo no salão de chá 'Ao Bom Doce' são memórias essenciais que guardo com afago", acrescenta.

O mar é inescapável. "O livro-disco abre com o Fausto a cantar 'abria de manhãzinha, as vidraças par em par, entrava o mar no meu quarto, só pelo cheiro do ar' e, de facto, o mar entra por nós adentro", sublinha. "Adoro passear a pé ou de bicicleta entre o rio e o mar e sempre que posso banho-me nas águas geladas do Atlântico norte", conta, aproveitando para recomendar, na sua cidade, o Carioca, "um doce divinal" e vincar o seu amor ao clube desportivo local, o Rio Ave.