Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Vídeos

Jorge Palma: “Aos 11 anos já não ia à missa, mas o meu amigo ainda me convenceu a fazer a primeira comunhão” [VÍDEO]

Aos 70 anos, Jorge Palma fala da sua relação curiosa com a religião católica, incentivada pela amizade com um casal de vizinhos que considerava quase “uns segundos pais”. Para ver aqui (título corrigido)

Lia Pereira

Lia Pereira

Jornalista

Rita Carmo

Rita Carmo

Fotojornalista

Na infância, Jorge Palma tinha um casal de vizinhos de quem se tornou muito amigo e que o “puxaram” para a religião católica, confessa em entrevista à BLITZ realizada pouco tempo depois de celebrar o 70º aniversário.

“A minha mãe dizia que era católica, mas quem me puxou para a religião foram os meus vizinhos, que eram quase uns segundos pais”, recorda o músico português, que aos 6 anos começou “a frequentar a catequese”. “Com 11 anos já não ia à missa, mas [o meu amigo], o senhor Ami, como o batizei. ainda me convenceu a fazer a primeira comunhão, aos 12 ou 13 anos”, recorda Jorge Palma, que neste excerto em vídeo fala também da relação que mantém, hoje, com a religião.

Veja no vídeo acima a resposta completa de Jorge Palma.

  • Jorge Palma, 70 anos. Uma viagem aos primeiros passos de um sonhador

    Notícias

    Soube catalisar melhor do que ninguém a torturada alma nacional para um registo entre o music-hall e o rock, passando pelo universo dos cantautores. Ao mesmo tempo, sempre se pautou por transgredir todas as barreiras artísticas e sociais e por despertar a paixão de sucessivas gerações. Faz hoje 70 anos o nosso melhor trovador errante. Foi assim que ele começou

  • 101 canções que marcaram Portugal #25: 'Bairro do Amor', nos 70 anos de Jorge Palma

    Notícias

    Jorge Palma é mais do que música: é poesia. Zarpou muitas vezes de Portugal e aí bebeu matéria para as suas composições depuradas. É o compositor marginal que gostaríamos de ser, de ter sido, de representar – como um arquétipo de liberdade. Estendeu durante décadas o chapéu com uma frase muito sua: “qualquer coisa pá música”. No dia dos seus 70 anos, somos nós quem tira o chapéu e lho estende. Esta é a 25ª de 101 canções que marcaram Portugal, uma rubrica que homenageia as cantigas que ficaram para a história da música portuguesa