Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

siga-nos

Perfil

Notícias

BLITZ 87 já nas bancas: Ramones são a estrela de capa [veja vídeo]

Ramones e The Clash são a "costela" punk desta edição, onde poderá ler ainda entrevistas da BLITZ com Queens of the Stone Age, Arctic Monkeys, The National, David Byrne, Goldfrapp e D3O. Os primeiros anos dos Da Weasel e a história dos Sublime são outros dos destaques da BLITZ de setembro.

Os RAMONES são a estrela de capa da BLITZ de setembro, já nas bancas. Veja aqui a capa e uma pequena animação, feita para a edição iPad da revista, também já disponível.

As canções simultaneamente rápidas, melódicas, dóceis e cortantes dos RAMONES continuam a dourar a história do rock e a cativar novas gerações de músicos e fãs. De Nova Iorque para o mundo, a banda de Johnny e Joey (personalidades opostas) ajudou a inventar o punk e foi-lhe fiel como poucas. Este mês, Rui Miguel Abreu conta como um gangue de desajustados conseguiu tornar-se uma das mais influentes de sempre, revisita o mítico concerto de It's Alive (foi há trinta e cinco anos!), e recorda os concertos em Portugal, em 15 páginas para ler e guardar.

36 anos depois de terem irrompido na cena punk britânica e uma década volvida sobre a morte do seu mentor, Joe Strummer, há duas edições novas dos CLASH - uma delas é uma caixa com a discografia quase completa. Em casa de Damon Albarn, o guitarrista Mick Jones e o baixista Paul Simonon recordam a Michael Hann os anos dos "city rockers" e garantem que não se arrependem de nada.

O punk viveu de manifestos feitos canções onde se professou de tudo - desde a revolta à ausência de futuro. Hoje, além das palavras e dos riffs, valoriza-se a arte que embalou hinos seminais. O livro Punk 45, que Rui Miguel Abreu "devorou", lembra as capas que envolveram o movimento, no final dos anos 1970.

Não é comum que, ao cabo de dezassete anos de carreira, uma banda edite um álbum que soe tão fresco como os maiores feitos do seu passado. No entanto, foi isso que os QUEENS OF THE STONE AGE conseguiram com ...Like Clockwork, disco que apresentaram recentemente em Portugal. A José Miguel Rodrigues, o vocalista, guitarrista e "patrão" Josh Homme fala de questões de vida e de morte.

Às portas do quinto álbum, os ARCTIC MONKEYS são uma banda crescida, confiante e decidida a explorar novos sons, nomeadamente os mais sexy e dançáveis. Nos bastidores do festival Super Bock Super Rock, onde tocaram em julho, Alex Turner e Nick O'Malley falaram com Lia Pereira sobre AM, o novo disco e primeiro fruto da fase californiana da banda.

Uma dúzia de anos volvidos sobre o primeiro álbum, os norte-americanos THE NATIONAL estão a tocar para as maiores plateias da sua vida. Em novembro, a banda que, em Portugal, começou por se mostrar numa tranquila matiné de Paredes de Coura, sobe ao palco gigantesco da Meo Arena. Ao telefone da casa dos pais, em Cincinnati, o vocalista Matt Berninger garante que os seus rapazes sabem o que estão a fazer. E explica a Lia Pereira porque é que uma letra de canção nunca será poesia.

Em 1993 nascia uma das bandas mais significativas da nova "música moderna" dos últimos vinte anos portugueses. Fundados pelos irmãos Nobre - nascidos em Angola, filhos de pais cabo-verdianos -, os DA WEASEL cresceram com a década de 1990, "explodiram" no novo milénio e chegaram ao Pavilhão Atlântico, em 2007, antes da rutura em 2010. Manuel Rodrigues regressa aos primeiros dias, em Almada, e conta como tudo começou.

A crítica mais frequente às bandas de punk é: "o som é demasiado rápido". Os californianos SUBLIME eram mais que punks (misturavam-lhe reggae e ska), mas nem por isso Brad Nowell, o vocalista, deixou de viver demasiado rápido para saborear o sucesso - morreu dois meses antes de "What I Got", o maior sucesso do grupo, "rebentar" com estrondo. Numa altura em que é editado o CD/DVD 3-Ring Circus, Filipe Garcia recorda o percurso meteórico de uma banda "interrompida".

Nos P&Rs, falámos com DAVID BYRNE, a propósito dos concertos com St Vincent, em Lisboa e no Porto, com os GOLDFRAPP e com os portugueses D3O. Este mês, DISCLOSURE e CICLO PREPARATÓRIO são Quase Famosos. No Ao Vivo, recordamos as melhores imagens do Super Bock Super Rock e do Vodafone Paredes de Coura. No GUIA, o destaque vai para os discos novos de MAZZY STAR, ARCTIC MONKEYS e FRANZ FERDINAND. Falamos ainda dos álbuns de Peixe:Avião, The Polyphonic Spree, AlunaGeorge, The Cult, Mogwai, Sílvia Pérez Cruz, Robin Thicke, Bill Callahan, Silva, Julia Holter, Zola Jesus e Pedro Moutinho, entre outros. A BLITZ de setembro chega às bancas a 30 de agosto e custa 2,90 euros. A edição para tablets iPad ou Android custa 2,69 euros. Assinatura de 6 meses: 12,99 (desconto de 20%). Assinatura de 1 ano: 19,99 euros (desconto de 40%). Siga os links para descarregar a aplicação, gratuitamente, para o seu iPad ou tablet Android. Download aplicação iPad Download aplicação Android