Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

30 anos sem Freddie Mercury. Amigos e família continuam a receber prendas de Natal do artista todos os anos

Freddie Mercury tratou de tudo antes de morrer, um mês antes da noite de Natal de 1991. O vocalista dos Queen deixou-nos há 30 anos

Mesmo tendo morrido há 30 anos, Freddie Mercury continua a aquecer o Natal dos seus amigos e família. O músico deixou uma nota no seu testamento para que a loja de produtos de luxo Fortnum & Mason, em Londres, enviasse todos os anos um cabaz de Natal aos seus entes queridos.

Em declarações ao Daily Mail em 2019, um porta-voz da loja descreveu este gesto como "encantador". "Não é a primeira vez que alguém faz isto", acrescentou. Entre os mais beneficiados estão os amigos próximos de Mercury, bem como os seus afilhados.

Elton John, amigo do cantor, falou também em 2019 sobre a natureza generosa de Freddie, recordando um episódio sucedido numa manhã de Natal: "o Tony King [amigo de Mercury] veio ter comigo e deu-me uma fronha. Como podem ler no meu livro [a autobiografia "Eu, Elton"], o meu nome drag é Sharon e o do Fred era Melina. Nessa linda fronha estava uma pintura a aguarela. No recado que vinha com ela dizia: 'querida Sharon, vi isto num leilão e achei que ias adorar. Adoro-te, Melina'. Foi muito comovente. Ele estava a morrer e ainda pensava nos amigos. Era esse tipo de pessoa que ele era. Cheio de amor e vida".

O eterno vocalista dos Queen morreu a 24 de novembro de 1991, com 45 anos, vitimado por uma pneumonia. Mercury tinha sido diagnosticado com o vírus HIV em 1987 e quando a pneumonia o atacou vivia com sida. Recorde o vídeo de 'These Are the Days of Our Lives', o último que gravou.