Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Lucian Grainge, CEO da Universal (ao centro), com Billie Eilish (à dir.)

Getty Images

Deputados britânicos criticam vencimento de presidente da editora Universal

O CEO e presidente do Universal Music Group poderá ganhar, em 2021, mais do que todos os letristas e compositores britânicos receberam em 2019 com a venda de música e o streaming

Os vencimentos de Lucian Grainge, CEO e presidente da editora Universal Music, estão a ser alvo de fortes críticas em Inglaterra, por parte de deputados e representantes da indústria discográfica.

Em 2021, o executivo deverá receber mais do que todos os escritores de canções do Reino Unido ganharam com vendas e streaming de música em 2019.

Este ano, Lucian Grainge deverá receber um bónus, o que eleva o seu vencimento para mais de 140 milhões de euros. Esse bónus deve-se ao sucesso da Universal Music na bolsa e à venda de 10% das ações da empresa a uma companhia chinesa, explica o jornal "The Guardian".

De acordo com as contas do Governo britânico, o presidente do grupo poderá assim receber mais do que todos os compositores e letristas do Reino Unido ganharam em 2019 com vendas de música, downloads e streaming.

Os deputados britânicos têm comentado o caso, defendendo mudanças urgentes na remuneração do streaming e outras fontes de rendimento dos músicos.