Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Instagram Milton Nascimento

Milton Nascimento anuncia digressão de despedida

"A Última Sessão de Música" é o nome da última digressão do brasileiro Milton Nascimento, marcada para 2022, ano em que completa 80 primaveras

O cantor e compositor Milton Nascimento, um dos maiores representantes da chamada Música Popular Brasileira, anunciou na terça-feira que se apresentará em 2022, quando fará 80 anos, naquela que será a sua digressão de despedida dos palcos.

O famoso compositor de clássicos como "Canção da América" e "Maria Maria", interpretados por dezenas de cantores de todo o mundo, anunciou a sua despedida num vídeo animado que publicou nas suas redes sociais nesta terça-feira, quando festejou 79 anos de idade.

Instagram

"A Última Sessão de Música", como batizou a sua turnê de despedida, é o mesmo nome de uma das canções do álbum "Milagre dos Peixes" (1973).

O cantor e compositor, que nos últimos anos tem enfrentado alguns problemas de saúde, não divulgou detalhes sobre a sua última turnê, ou se incluirá cidades do exterior ou apenas do Brasil, nem datas.

A animação publicada utiliza como banda sonora trechos da música "Encontros e Despedidas" (1981), na qual o cantor carioca, mas com claras raízes no vizinho estado de Minas Gerais, garante, em alusão ao final de uma viagem de comboio, que “a hora do encontro é também a hora da despedida”.

Embora a sua voz não tenha sofrido com a idade, nem com os seus problemas de saúde, Nascimento, que tem diabetes e problemas cardíacos, tem tido problemas nos últimos anos para cumprir algumas das suas obrigações profissionais devido a diversas hospitalizações, numa das quais teve que ser submetido a um cateterismo.

Nas suas últimas apresentações antes do início da pandemia de covid-19 no Brasil, ficaram evidentes as dificuldades em caminhar no palco, pelo que teve de cantar sentado, e o seu estado de fragilidade.

Mas, nas apresentações ao vivo que fez em formato virtual na sua residência durante a pandemia, mostrou que a sua voz permanece inquebrável.

O cantor, compositor e guitarrista, que completará 60 anos de carreira musical no próximo ano, já gravou 34 álbuns e já se apresentou com dezenas de grupos e músicos de outros países, como Wayne Shorter, Herbie Hancock, Ron Carter, Mercedes Sosa, Fito Paez, Peter Gabriel, James Taylor, Sting, Paul Simon, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil e Duran Duran.

O brasileiro recebeu cinco prémios Grammy, incluindo um em 1997 na categoria World Music pelo seu álbum "Nascimento" e um Grammy Latino em 2000 de Melhor Álbum Pop Contemporâneo por "Crooner".