Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Roberto Medina

David Becker/Getty Images

Roberto Medina: “Em Lisboa, o Axl Rose levou nove jeans iguais e cismou que só atuaria com as de que se tinha esquecido no avião”

“Ninguém supera o Axl Rose, que deu trabalho no Brasil e em Portugal”. O fundador do Rock in Rio, Roberto Medina, recordou alguns dos pedidos mais excêntricos de artistas ao longo dos anos. E diz que levou uma nega de Lady Gaga

Roberto Medina, fundador e presidente do Rock in Rio, recordou alguns dos pedidos mais excêntricos que artistas que atuaram no festival, quer no Brasil quer em Portugal, fizeram ao longo dos anos. E, em entrevista à revista Veja, garantiu que Axl Rose, dos Guns N' Roses foi o que sempre deu mais trabalho.

"Logo na primeira edição, aprendi à força a lidar com pedidos esdrúxulos", começou por dizer Medina, "o Prince exigiu 400 toalhas brancas e só usou trinta. O Elton John queria rosas com talos de exatamente 14 centímetros no camarim. Mas ninguém supera o Axl Rose, que deu trabalho aqui e em Portugal".

Depois de recordar uma briga entre um funcionário da equipa dos Guns N' Roses e uma pessoa do canal de televisão Globo, em 1991, que levou Rose a dizer que só daria o concerto se lhe mostrassem as imagens da altercação, Medina diz: "em Lisboa, o Axl levou nove jeans iguais e cismou que só atuaria com as de que se tinha esquecido no avião. Mandámos buscar, claro".

Na mesma entrevista, o fundador do Rock in Rio diz que levou uma nega de Lady Gaga para a edição do próximo ano do festival no Brasil. "Há quatro anos, ela cancelou a vinda por motivos de saúde e fiquei frustrado. Convidámo-la agora, mas não tem interesse, no momento, em digressões na América Latina. Vou continuar a insistir".