Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Vestígios de droga em rio próximo dos terrenos de Glastonbury podem pôr em risco fauna local

Foram registados vestígios muito mais altos de MDMA e cocaína num rio que corre junto aos terrenos de um dos maiores festivais do mundo

Foram encontrados vestígios muito significativos de drogas ilegais, no rio que corre junto ao terreno onde se realiza o festival de Glastonbury, o que pode prejudicar a fauna local.

Um grupo de cientistas monitorizou as águas do rio Whitelake, antes, durante e depois da edição de 2019, detetando níveis de MDMA e cocaína altos o suficiente para colocar em causa os animais que lá habitam, incluindo uma espécie rara de enguia.

Em declarações ao jornal "The Guardian", um dos investigadores afirmou que este tipo de contaminação acontece em todos os festivais de música.

"Infelizmente, a proximidade de Glastonbury ao rio faz com que quaisquer drogas libertadas pelos membros do público", sob a forma de urina, "não tenham tempo de se degradar no solo antes de entrar num ecossistema frágil como o das águas do rio".

Um porta-voz da organização do festival respondeu já ao estudo, dizendo que a proteção da fauna e flora locais são "de extrema importância". Urinar em público, acrescentou, "é a maior ameaça aos nossos caudais e à fauna que faz deles habitat".

Em 2019, foi lançada uma campanha intitulada "Don't Pee On The Land" ("Não Urines na Terra"), que encorajou os festivaleiros a utilizar as casas de banho e urinóis providenciados pelo festival de forma a não contaminar os solos.