Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Nirvana em Cascais, 1994

Rita Carmo/Arquivo

30 anos de Nevermind. “Primeiro ninguém ligou nenhuma”. Como nasceu o fenómeno Nirvana em Portugal no início dos anos 90

No dia em que "Nevermind" faz 30 anos,contamos como, em Portugal, os Nirvana passaram de ilustres desconhecidos a heróis do rock enquanto o diabo esfrega um olho. Como chegaram às rádios, aos jornais, às lojas de discos e ao palco do Dramático de Cascais: uma história portuguesa, com certeza

Editado a 24 de setembro de 1991 dois anos depois de Bleach ter apresentado os Nirvana ao mundo apaixonado pela Sup Pop, Nevermind já ia em franca ascensão na tabela de vendas americana quando, em novembro, o BLITZ lhe dedicou uma elogiosa crítica: era um álbum «de que se gostava à primeira» e que dava aos Nirvana «um dos melhores discos de 1991». Cristina Espírito Santo, à data promotora da BMG Portugal (que distribuía os álbuns da DGC Records, com quem os Nirvana tinham assinado contrato), relembra: «À sexta-feira tínhamos uma reunião geral para apresentar novos produtos. Numa delas foram-nos apresentados os Nirvana. Toda a gente franziu o nariz menos eu e um colega meu, o Tiago. Os nossos chefes e os vendedores gozaram, mas nós dissemos: "atenção que isto vai explodir"». Também reticentes, foram poucos os críticos de música que perderam tempo com Nevermind.

Artigo Exclusivo para assinantes

BLITZ é uma marca do Expresso.

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler