Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Raquel Tavares deixou a música por medo de acabar como Amy Winehouse. "Via o documentário sobre ela uma vez por semana"

"Havia coisas [na história da Amy Winehouse] que eu reconhecia e era assustador perceber que era muito parecido"

Raquel Tavares, que em janeiro de 2020 anunciou que iria pôr termo à sua carreira musical, revelou a razão que a levou a tomar essa decisão.

Em entrevista ao programa "Era o que Faltava", de Ana Martins e João Paulo Sousa, na Rádio Comercial, a antiga fadista confessou que, embora goste de dar concertos, não apreciava tanto "a vida da estrada e a indústria, que pode ser leonina."

Depois de 20 anos ligada ao fado, Raquel Tavares ponderou a mudança de vida durante dois anos, inspirando-se, em parte, na história de uma cantora que admirava: Amy Winehouse.

Em 2019, Raquel Tavares diz que via o documentário sobre a vida de Amy Winehouse "uma vez por semana".

"Havia coisas [na história dela] que eu reconhecia e era assustador perceber que era muito parecido", confessa a agora apresentadora da SIC. "O percurso da Amy e o que lhe aconteceu foi, para mim, decisivo."

Raquel Tavares reconhece que também pensou nas pessoas que dependiam de si e do seu trabalho, antes de tomar a decisão de abandonar a música. "Depois via o DVD da Amy e pensava: 'não, que se lixe.' Então e a minha vida? Eu optei por viver, a Amy não. Em última análise foi isto."