Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Notícias

Posto Emissor #72. BLITZ convida Luís Jardim. Da amizade com os Rolling Stones à mágoa com Portugal

Luís Jardim é o convidado desta semana do podcast Posto Emissor. O músico e produtor fala sobre as cumplicidades que mantém com nomes de topo da música mundial, a admiração que nutria pelo amigo Charlie Watts, dos Rolling Stones, e a mágoa que sente por nunca ter visto a sua música reconhecida em Portugal. O regresso dos ABBA e os 30 anos de “The Black Album”, dos Metallica, também passam por aqui

Luís Jardim, músico e produtor há mais de 50 anos, é o convidado desta semana do Posto Emissor, o podcast semanal da BLITZ. No momento em que o mundo se prepara para ouvir a sua percussão na banda sonora do novo filme de James Bond, "No Time to Die", o músico madeirense recorda o momento em que as portas do mundo da música se abriram à sua frente, depois de Mick Jagger o ter visto atuar num clube londrino, e fala sobre a mágoa que sente por nunca ter visto a sua música reconhecida em Portugal.

A sua primeira banda, Demónios Negros, o trabalho que desenvolveu ao longo dos anos com Rolling Stones, Tina Turner ou Rui Veloso, a amizade que o unia ao falecido baterista Charlie Watts, a razão pela qual nunca se deixou levar por álcool ou drogas, a opinião pouco favorável que tem sobre a indústria musical nacional, a defesa do Brexit e aquilo que sempre procurou enquanto jurado de concursos de talentos foram outros assuntos abordados por Luís Jardim no episódio desta semana do Posto Emissor.

Também neste Posto Emissor, falamos sobre o regresso dos ABBA, 40 anos depois de se afastarem da música, e da reedição de 30º aniversário do mítico "The Black Album", dos Metallica. Destacamos ainda a análise faixa a faixa de "Donda", o novo álbum de Kanye West, e um artigo sobre os 30 anos de "Ten", disco de estreia dos Pearl Jam. Os concertos a que poderá assistir nos próximos tempos completam o podcast desta semana.

A apresentação do 72º Posto Emissor está a cargo de Mário Rui Vieira e a edição multimédia é de João Luís Amorim.

Sejam bem-vindos.