Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Álvaro Covões

Rita Carmo

Álvaro Covões: “Na Eslovénia os Moonspell puderam trabalhar, por cá as autoridades preferem as festas ilegais e os botellóns”

​​​​​​Álvaro Covões, diretor da Everything Is New e dirigente da APEFE, continua a criticar medidas tomadas pelo Governo português. “As autoridades de saúde e os especialistas, que não conhecem a realidade, preferem os milhares de festas ilegais em casas particulares e as centenas de botellóns nos estacionamentos, praias ou matas”, comenta o promotor do festival NOS Alive

Álvaro Covões continua a mostrar a sua indignação com as medidas tomadas pelo Governo português, em contexto pandémico. A partir deste mês, as lotações admitidas nos concertos irão aumentar, mas para o diretor da Everything Is New e dirigente da APEFE, as decisões comunicadas na semana passada são insuficientes para recuperar o setor da música ao vivo.

"Foi assim, na sexta-feira, num festival na Eslovénia, que os Moonspell tiveram o direito a trabalhar e os eslovenos o direito a usufruir da vida, onde podem participar em eventos organizados. Por cá continuamos proibidos de trabalhar e o público proibido de participar em festivais organizados", lamenta Álvaro Covões.

"As autoridades de saúde e os especialistas, que não conhecem a realidade, preferem os milhares de festas ilegais em casas particulares e as centenas de botellóns nos estacionamentos, praias ou matas", argumenta o empresário.

"Assim se destrói um setor económico, por falta de noção da realidade e com resultados negativos para a saúde pública, porque as condições sanitárias na clandestinidade nada têm a ver com as doa eventos organizados. Assim, continuamos no faz de conta que os jovens estão fechados em casa no integral cumprimento das regras de etiqueta", acusa.

Leia aqui a mensagem de Álvaro Covões:

Instagram