Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Mãe de Britney Spears apoia a filha na luta para libertar-se do controlo do pai. E fala em medicação, coação e uma “altercação física”

Lynne Spears alega que o pai de Britney contratou um médico que receitava à filha medicação “completamente desadequada” e que a coagiu a dar entrada numa clínica. De acordo com a mãe, a artista terá passado sentir “ódio e medo” do pai, sentimentos agravados por uma “altercação física” entre Jamie Spears e os netos

A mãe de Britney Spears, Lynne Spears, mostrou o seu apoio à filha na batalha legal através da qual a cantora tem tentado libertar-se da tutela do seu pai.

Dos documentos entregues em tribunal esta semana consta um testemunho de Lynne Spears, que escreve: "Afigura-se claro para mim que James P. Spears [pai de Britney] é incapaz de pôr os interesses da minha filha à frente dos seus, tanto a nível profissional como pessoal, e que por conseguinte não é do melhor interesse da minha filha que ele continue a ter a sua tutela."

A mãe de Britney afirma ainda que participou na dita tutela, no final de 2018 e durante 2019, uma altura que descreve como "de crise", e que nesse período o seu ex-marido exerceu um controlo "cirúrgico" sobre as finanças e a saúde da filha.

Lynne Spears alega que o pai de Britney contratou um médico psiquiatra que receitava à filha medicação "completamente desadequada" e que a coagiu a dar entrada numa clínica, contra a sua vontade, ameaçando que a castigaria caso ela se opusesse. Após estes acontecimentos, a relação entre pai e filha saiu danificada, passando Britney a sentir "ódio e medo" do seu pai, sentimentos agravados por uma "altercação física" entre Jamie Spears e os seus netos, filhos de Britney e Kevin Federline.