Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Ágata e as Doce

Ágata sente-se “excluída” do filme das Doce. Fátima Padinha responde: “está a pôr-se em bicos de pés”

“Não sei o que é que ela quer dizer. Ela que conte. Foi muito desagradável com a Laura [Diogo]”. Atritos entre os elementos originais das Doce e Ágata, que integrou o grupo um ano antes do fim, motivados pelo recentemente estreado filme biográfico “Bem Bom”

O descontentamento de Ágata por não ser retratada no filme "Bem Bom", que segue o percurso das Doce, grupo que chegou a integrar um ano antes de este terminar, motivou uma reação da ex-colega Fátima Padinha, que a acusa de estar "a pôr-se em bicos de pés".

"Tenho muitas histórias para contar e elas não devem querer que eu fale. Devem ter tido receio que eu contasse o que se passava nos bastidores. O ambiente não era muito bom", disse a voz de 'Perfume de Mulher' à revista Nova Gente, antes de revelar que não se dava bem com Laura Diogo, que apelida de "muito arrogante".

Em declarações ao Correio da Manhã, Padinha reage a estas palavras dizendo: "Não sei o que é que ela quer dizer. Ela que conte. Foi muito desagradável com a Laura. Não sei porque é que ela se está a pôr em bicos de pés. Não precisa nada disto. É uma excelente cantora com uma carreira notável".

"Bem Bom" retrata o percurso das Doce desde a formação, em 1979, até à chegada à Eurovisão, em 1982, onde representaram Portugal precisamente com a canção 'Bem Bom'. Ágata - então conhecida pelo seu nome de batismo, Fernanda - só integraria o grupo em 1985, um ano antes do fim, substituindo Lena Coelho aquando da gravidez desta, e depois ficando no lugar de Fátima Padinha, que saiu definitivamente da banda pouco depois. Também Fernanda (que pouco depois adotaria o nome artístico pela qual a conhecemos até hoje) não ficaria até ao fim - as Doce terminariam em formato trio, com Teresa Miguel, Laura Diogo e a regressada Lena Coelho.

"Se o filme é sobre o grupo, devia ser do princípio ao fim. E não é. Eu fiz parte das Doce e não sou retratada no filme, por isso acho que está incompleto", disse a cantora à Nova Gente. Recorde-se que o filme será complementado com uma série de televisão de sete episódios a ser exibida pela RTP.

O Expresso falou com os principais protagonistas da história das Doce, o primeiro fenómeno pop em Portugal - de Lena Coelho e Fátima Padinha a Tozé Brito, o mentor do grupo -, e também com a realizadora de "Bem Bom", Patrícia Sequeira, sobre o impacto sociocultural que o grupo teve no país. Siga o link para ler o artigo.