Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Rui Veloso, Nuno Bettencourt (Extreme), Carlos Paredes

Arquivo Gesco/Getty Images

O que fazem Rui Veloso, Carlos Paredes e Nuno Bettencourt dos Extreme juntos? Uma canção por Timor que o tempo esqueceu

“When the sun rises in East Timor, there is pain and fear behind each door”. Foi com estas palavras que Rui Veloso e alguns amigos, entre os quais Carlos Paredes, génio da guitarra portuguesa, e Nuno Bettencourt, o 'guitar hero' lusodescendente dos norte-americanos Extreme, emocionaram o mundo em 1992. A canção chamava-se 'Maubere' e pode recordá-la (ou conhecê-la) aqui

Em 1992, um ano depois do Massacre de Santa Cruz em Timor-Leste, Rui Veloso e Carlos Tê uniram esforços para escrever 'Maubere', canção de apoio ao povo timorense, que lutava contra a ocupação pela Indonésia.

Para interpretar a canção, a dupla convidou Paulo Gonzo, os guitarristas Carlos Paredes e Nuno Bettencourt (dos Extreme), o flautista Rão Kyao e a cantora Isabel Campelo. A letra foi escrita maioritariamente em inglês, com o intuito de sensibilizar o mundo para a causa timorense.

O tema faz referência ao terror que o pais viveu antes e depois do massacre, que ocorreu na capital Díli, a 12 de novembro de 1991. Numa marcha que juntou duas mil pessoas, o exército indonésio abriu fogo e matou mais de três centenas de pessoas.

"When the sun rises in East Timor, there is pain and fear behind each door/ The streets are watched by M16's aiming at the hearts, aiming at the dreams of Maubere people" ("Quando o sol nasce em Timor Leste, há dor e medo atrás de cada porta/ As ruas são vigiadas por M16s que apontam aos corações e aos sonhos do povo maubere") são alguns versos da canção, que pode ser recordada no vídeo abaixo.