Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Britney Spears

Jean Baptiste Lacroix/Getty Images

Britney Spears consegue vitória em tribunal e já tem um novo e poderoso advogado

O tribunal de Los Angeles aprovou a demissão do antigo advogado de Britney Spears e permitiu à artista que escolhesse uma nova pessoa para a representar

Britney Spears recebeu autorização do tribunal para contratar o seu próprio advogado, depois de ter sido aprovado o pedido de demissão de Samuel D. Ingham III, que a representava desde 2008.

De acordo com a imprensa norte-americana, a juíza do Tribunal Superior do Condado de Los Angeles, no estado da Califórnia, Brenda Penny, aprovou a demissão de Ingham e, ao mesmo tempo, a escolha de Mathew Rosengart como novo advogado de Britney Spears.

A artista luta pelo fim da tutoria que desde 2008 colocou nas mãos do seu pai o controlo do património financeiro e aspetos da vida pessoal.

Britney Spears, de acordo com a cadeia de televisão NBC, começou a chorar durante a audiência, explicando à juíza que estava “extremamente assustada” com o seu pai, James Spears.

“Estou aqui para me livrar do meu pai e acusá-lo de abuso de tutela”, disse, acrescentando que gostava que o seu tutor fosse investigado.

A cantora norte-americana pediu ao tribunal em junho o direito de escolher o seu próprio advogado, alegando que não foi informada de ter poder para terminar com a tutela e que se sentiu silenciada por Samuel D. Ingham III.

No início da semana, Britney Spears assinou um documento legal para selecionar o poderoso advogado Mathew Rosengart como seu representante, um antigo promotor federal que representou celebridades de Hollywood como Sean Penn, Steven Spielberg, Julia Louis-Dreyfus e Keanu Reeves.

Rosengart é a defesa escolhida pela artista, após ser representada por um advogado nomeado pelo tribunal desde que foi colocada sob tutela do seu pai em 2008.

Antes da audiência, segundo a publicação Variety, apoiantes do movimento #FreeBritney estiveram junto ao Tribunal Stanley Mosk, com roupas alusivas à artista e empunhado cartazes com inscrições a pedirem o fim da tutela.

Em fevereiro, a vida de Britney Spears voltou à esfera pública com o lançamento do documentário “Framing Britney Spears”, focado na trajetória da cantora norte-americana, incluindo os momentos de maior popularidade e os acontecimentos que levaram a que a sua vida passasse a ser controlada pelo pai.

Aos 39 anos, Britney Spears “não pode dispor livremente do seu dinheiro ou assinar nenhum documento sem autorização prévia, o que a levou a uma árdua batalha judicial contra o pai”. O trabalho do The New York Times “explora a base legal da tutela, assim como os requisitos que devem cumprir tanto Spears como os tutores designados pelo tribunal”.

Britney Spears estreou-se oficialmente em 1999 quando editou o álbum “...Baby One More Time”, que vendeu mais de cem milhões de exemplares em todo o mundo.

Na sequência do documentário “Framing Britney Spears”, tornaram-se virais movimentos para pedir a “libertação” da artista do controlo do pai (“#FreeBritney”) e para levar a que quem a criticou e julgou, na altura, viesse agora pedir desculpa.

Sendo uma das artistas que mais venderam no virar do século, a norte-americana é a intérprete de temas como “Oops!... I Did It Again”, “Toxic" e “Womanizer”.