Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Noam Galai/Getty

Música rápida proibida nos ginásios da Coreia do Sul

As autoridades coreanas receiam que fazer exercício ao som de música mais rápida pode aumentar o risco de contágio por covid-19. Até 'Is This Love', de Bob Marley, ultrapassa o limite imposto pelo Governo de Seul

O Governo sul-coreano proibiu a música mais acelerada de ser tocada nos ginásios, durante as aulas de grupo, como as de aeróbica e spinning.

As autoridades daquele país justificam a medida com o risco de, ao fazerem exercício ao som de música com mais 120 batidas por minuto, os frequentadores de ginásio correrem um risco acrescido de serem contagiados (ou contagiarem) os demais utilizadores com covid-19.

A medida abrange muitas canções de k-pop, género musical muito popular no país, e foi recebida com críticas por parte dos partidos da oposição e dos proprietários e utilizadores de ginásios. O Governo justifica-a como alternativa a um novo fecho daqueles espaços.

Segundo o jornal inglês "The Guardian", o êxito 'Permission to Dance', dos BTS, tem 127 batidas por minuto, 'Eye of the Tiger', dos Survivor, 108 e 'Stronger', de Kanye West, 106. Até 'Is This Love', de Bob Marley, ultrapassa o limite, com 122 bpm. O mesmo jornal avança que, das primeiras dez canções da playlist do Spotify para fazer exercício, nenhuma está abaixo das 120 bpm.

A Coreia do Sul atravessa um surto grave de covid-19, tendo intensificado as regras para tentar contê-lo. Nos ginásios, é também proibido tomar banho ou andar na passadeira a mais de 6 km/hora