Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Doce

Lena Coelho (Doce): “Nos nossos concertos havia mulheres às cotoveladas aos maridos: ‘Então, estás a olhar para elas?’”

“Mesmo as mulheres que o faziam, tenho a certeza de que gostavam de nós. Só não gostavam que os maridos não olhassem para elas da mesma forma”. As recordações de Lena Coelho, um dos elementos fundadores das Doce, no dia em que o filme biográfico “Bem Bom” chega aos cinemas

Lena Coelho, um dos elementos fundadores das Doce, recordou, em declarações ao Expresso, os concertos da banda pop dos anos 80, que esta quinta-feira vê chegar aos cinemas o filme biográfico "Bem Bom". Falando sobre os preconceitos de que foram alvo, a cantora assume que "há várias formas de olhar para o artista".

"Nos espetáculos, havia aquelas mulheres loucas, que gritavam e berravam ainda mais do que os maridos e depois havia aquelas que olhavam de lado para o marido e davam-lhe com o cotovelo naquela de 'Então, estás a olhar para elas?'", recorda, "mas elas queriam que eles olhassem para quê?".

A cantora acredita, no entanto, que "mesmo essas mulheres que faziam isso, tenho a certeza de que gostavam de nós. Só não gostavam, se calhar, do facto de o marido não olhar para elas da mesma forma, de haver ali um olhar diferente que elas ainda não tinham sentido. Mas, no fundo, gostavam de nós".

Há 40 anos, Lena Coelho, Teresa Miguel, Laura Diogo e Fátima Padinha traziam cor a um país a preto e branco. “Bem Bom”, o filme biográfico que esta quinta-feira chega aos cinemas, traz para a frente o impacto que as Doce tiveram num pós-25 de Abril pouco preparado para as acolher. Leia a história do primeiro fenómeno pop em Portugal contada pelos seus principais protagonistas no Expresso.