Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Dino D'Santiago

Dino D'Santiago foi o grande vencedor dos prémios Play. “Este vai direto para a família do Bruno Candé, vai para os três putos. Eu prometi”

Dino D'Santiago subiu três vezes ao palco do Coliseu dos Recreios para receber os mais ambicionados prémios da noite. O autor de “Kriola” homenageou o ator Bruno Candé, falecido em julho de 2020, vítima de um crime de ódio racial. O vencedor do Prémio Carreira não compareceu e o galardão não foi atribuído

A edição de 2021 dos prémios Play transformou-se num autêntico 'passeio' para Dino D'Santiago, agraciado com os prémios de Melhor Artista Masculino, Melhor Álbum ("Kriola") e o galardão da crítica.

Protagonizando um dos momentos mais marcantes da noite, o artista algarvio dedicou o prémio de Melhor Álbum ao ator Bruno Candé, assassinado em julho de 2020 em plena rua, vítima de crime de ódio racial: "Este [prémio] vai direto para a família do [Bruno] Candé, vai para os três putos. Eu prometi".

Os Clã foram o Melhor Grupo, enquanto Capicua venceu na categoria de Melhor Artista Feminina. O prémio de Canção do Ano foi atribuído a 'Louco', de Piruka, e Cláudia Pascoal saiu da rua das Portas de Santo Antão coroada como Artista Revelação. Outros prémios atribuídos: Melhor Videoclip ('Assobia Para O Lado', de Carlão, realizado por Fernando Mamede), Melhor Álbum Jazz ("Dianho", de André Fernandes), Melhor Álbum de Música Clássica/Erudita (“Duarte Lobo: Masses, Responsories & Motets", dos Cupertinos), Lusofonia ('É Tudo pra Ontem', de Emicida) e Melhor Álbum de Fado ("Do Coração", de Sara Correia).

Mensagens de contestação à situação pela qual passam os profissionais do setor da Cultura foram veiculadas durante a gala, tendo Capicua e Manuela Azevedo (Clã) aproveitado o 'tempo de antena' para apelar a uma maior defesa do setor por parte de quem governa o país.

Momento inesperado foi a não atribuição do Prémio Carreira. Contactada pela Lusa, a organização explicou que foi contactado um artista para receber esta distinção, mas que este não quis deslocar-se à gala para receber o prémio em mãos. De acordo com o regulamento, “o prémio não sendo entregue não permite substituição”.

Ao longo da cerimónia houve várias atuações ao vivo, registando-se várias colaborações. Carolina Deslandes apresentou-se em palco ao lado de 11 cantoras: Bárbara Tinoco, Cláudia Pascoal, Irma, Sara Correia, Carolina Leite, Diana Castro, Inês Pires, Joana Duarte, Madalena Guedes, Rita Rocha e Rosa Antunes. Os Quatro e Meia e Bárbara Tinoco apresentaram-se em dueto, assim como Capicua e Mallu Magalhães e Bispo e João Pedro Pais. Buba Espinho, Cuca Roseta e Sara Correia juntaram-se numa homenagem a Carlos do Carmo, que morreu a 1 de janeiro deste ano, tendo com eles em palco três dos guitarristas que acompanharam o fadista ao longo da carreira: José Manuel Neto, Marino de Freitas e Carlos Manuel Proença. A cerimónia de entrega dos Play encerrou com a atuação dos HMB.

Os Play – Prémios da Música Portuguesa são promovidos pela Audiogest e pela GDA – Gestão dos Direitos dos Artistas.

Com Lusa