Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Luís Montez, da Música no Coração

Rita Carmo

Luís Montez: “Em 24 anos, nunca autorizei a venda de bebidas brancas no Sudoeste nem no SBSR. Paga contas, mas dá cabo da cabeça à malta”

“A cervejinha aguenta-se bem, a pessoa vai à casa de banho e está feito. Agora começas a misturar, a criar mau ambiente, pancada, comas alcoólicos... Para recusar 100 mil euros de uma marca de vodka é preciso ter juízo”. O outro lado dos festivais de verão, visto por Luís Montez, que os organiza há mais de um quarto de século

Luís Montez é o convidado desta semana do Posto Emissor, o podcast semanal da BLITZ. O diretor da Música no Coração, que desde 1991 organiza concertos e festivais em Portugal, falou da sua experiência nesse setor.

“Em 24 anos, nunca autorizei a venda de bebidas brancas no Sudoeste. Nem no Super Bock Super Rock”, garante Luís Montez. “São bons patrocínios, mas dá cabo da cabeça à malta. A cervejinha aguenta-se bem, a pessoa vai à casa de banho e está feito. Agora começas a misturar, a criar mau ambiente, começa a pancada, os comas alcoólicos... Para recusar 100 mil euros de uma marca de licor ou de vodka é preciso ter juízo”, salienta o promotor que este verão organiza o festival Jardins do Marquês, que começa este domingo em Oeiras.

Ouça a resposta completa pelos 36m 35s.