Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Hélio Morais

Rita Carmo

Morte da ciclista Patrizia Paradiso em Lisboa. “Já fui abalroado 2 vezes”, conta Hélio Morais (Linda Martini)

A propósito da morte da investigadora italiana Patrizia Paradiso, atropelada por um automobilista quando circulava de bicicleta em Lisboa, Hélio Morais, dos Linda Martini e PAUS, partilhou a sua experiência enquanto ciclista: “É muito arriscado. Já fui abalroado duas vezes, pelo menos. Felizmente não me aconteceu nada de grave”

A morte da investigadora italiana Patrizia Paradiso, atropelada por um automobilista quando circulava de bicicleta em Lisboa, no passado fim de semana, levou Hélio Morais, baterista de Linda Martini e PAUS, a partilhar com os seus seguidores um vídeo no qual conta a sua experiência enquanto ciclista.

"Eu ando de bicicleta regularmente e é muito arriscado. Já fui abalroado duas vezes, pelo menos. Felizmente não me aconteceu nada de grave, mas há pessoas que não tiveram a mesma sorte, como esta ciclista italiana", começa Hélio Morais por dizer.

"Se não respeitarem o metro e meio de distância, se não mudarem de faixa de rodagem [para ultrapassar o ciclista], estão a desrespeitar o Código da Estrada", alerta o músico. Admitindo que alguns ciclistas desrespeitam, também, a sinalização, Hélio Morais contrapõe: "Isso confere direito a um automobilista de ficar irritado ao ponto de tentar abalroar o ciclista, colocando a sua vida em risco? Se é esta a lógica, se calhar [essas pessoas] não deviam andar na estrada, nem a pé."

Instagram

Natural de Itália, Patrizia Paradiso tinha 37 anos e era investigadora do Instituto Superior Técnico. Estava grávida de quatro meses.