Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Protesto contra as novas leis anti-LGBT da Hungria junto ao parlamento húngaro, em Budapeste, a 14 de junho de 2021

GERGELY BESENYEI/Getty Images

“Pessoas LGBT continuam a ser perseguidas. Esta ‘neutralidade’ envergonha-me”. Músicos criticam atitude do governo português face à Hungria

Carolina Deslandes, Agir e Sónia Tavares saem em defesa da comunidade LGBT e criticam a postura de 'neutralidade' do governo face às novas leis anti-LGBT da Hungria

Carolina Deslandes e Sónia Tavares, dos Gift, foram duas das artistas que se insurgiram, nas redes sociais, contra o facto de o governo português não ter assinado uma carta, subscrita por vários estados-membros da União Europeia, a defender os direitos da comunidade LGBT na Hungria.

Segundo representantes do governo, a não tomada de posição contra as novas leis húngaras que proíbem programas escolares e publicidade de mencionar identidades LGBT deveu-se ao dever de 'neutralidade' que dizem advir do facto de Portugal assumir, neste momento, a presidência do Conselho da União Europeia.

"Quando quem tem poder de mudança se abstém, não está a ser neutro. Está a escolher a discriminação, o ataque, está a perpetuar a perseguição e acima de tudo a permitir que o amor tenha imposições, barreiras e limites", escreve Deslandes no Instagram, "as pessoas da comunidade LGBT continuam a ser perseguidas no mundo, mortas, excluídas, continuam a levantar-se vozes que querem fazer com que os seus membros sintam que têm algo de errado. Não há como ser neutro. Esta 'neutralidade' não só não me representa como me envergonha".

Instagram

Sónia Tavares foi mais comedida na mensagem, partilhando apenas uma imagem onde se lê a palavra "neutrozinho" e juntado-lhe uma série de emojis de descontentamento.

Instagram

Não se referindo diretamente ao assunto, Agir partilhou a sobreposição do símbolo da Federação Portuguesa de Futebol com a bandeira arco-íris divulgada pela própria federação, que, dessa forma, se insurgiu contra os insultos homofóbicos direcionados a jogadores portugueses durante o jogo do Campeonato Europeu de Futebol entre Portugal e a Hungria, em Budapeste.

Instagram