Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Britney Spears compara a tutela do pai a tráfico sexual. “Não estou aqui para ser escrava de ninguém”

Britney Spears rogou a uma juíza do Supremo Tribunal de Los Angeles para que se ponha termo à tutela paternal que dura há 13 anos, impedindo-a de ter controlo sobre a sua vida. E afirmou que a sua família deveria estar na cadeia

Britney Spears testemunhou esta quarta-feira em tribunal, no processo que a opõe ao seu próprio pai, pelo controlo sobre a sua carreira.

Recorde-se que tanto a carreira como as finanças de Britney têm sido geridas pelo seu pai, ao longo de mais de uma década - uma situação que levou a este processo judicial e que é abordada no documentário "Framing Britney Spears".

Perante a juíza encarregue do caso, a cantora não teve meias-palavras: "Não estou aqui para ser escrava de ninguém", disse.

Sobre os motivos que a levaram a só hoje contar a sua história em tribunal, Britney alega ter receado que ninguém acreditasse nela - e revelou ter sido abusada e explorada pela sua própria família, a qual quer ver na prisão.

"Acredito piamente que esta tutela é abusiva", disse. "Não creio que possa viver a vida em cheio".

Entre as proibições impostas pela família a Britney Spears, estava a de se casar e ter filhos - o que levou à implantação de um dispositivo intrauterino no seu corpo, contra vontade.

O pai da cantora mereceu as críticas mais duras: "Ele adorava o controlo que tinha sobre alguém tão poderoso quanto eu", afirmou. "Trabalhei sete dias por semana, sem folgas. Na Califórnia, a única coisa que se aproxima disto é o tráfico sexual".

"É por esse motivo que estou a contar-vos isto, dois anos depois. Após ter mentido e dito ao mundo que estava bem e feliz. Era mentira. Estava em negação. Pensei que se o dissesse muitas vezes se tornaria verdade".