Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Rui Reininho

Rita Carmo

Rui Reininho: “Não tenho problemas de pregos no meu caixão. Estou inscrito no crematório de Matosinhos, tem uma vista fantástica”

No podcast Posto Emissor, Rui Reininho fala da forma como se tem envolvido na vida do seu município. “As oposições, claro, cobrem-me de insultos: 'Este gajo está à procura de tacho'. Mas não tenho problemas de pregos no caixão”. Para ouvir aqui

Rui Reininho é o convidado desta semana do Posto Emissor, podcast semanal da BLITZ. Em conversa com Luís Guerra, o músico nascido há 66 anos no Porto explica-nos como nasceu o seu surpreendente segundo disco a solo, “20.000 Éguas Submarinas”, mas delonga-se também noutros aspetos da sua vida, nomeadamente a forma como se tem envolvido na vida do município onde reside, Matosinhos.

“É talvez público que sou o presidente da Banda Filarmónica Matosinhos-Leça. Sou um dos chatos que está a bater à porta a pedir uma ajudinha para a nossa sede ser pintada. Eles [os autarcas] conhecem-me, mas não sinto que me cobrem. As oposições, claro, cobrem-me de insultos: 'Este gajo está à procura de tacho'. Não tenho problemas de pregos no caixão. Estou inscrito no crematório de Matosinhos, tem uma vista fantástica”.

Para ouvir a partir dos 47 minutos e 50 segundos do podcast Posto Emissor: