Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Françoise Hardy

Serge BENHAMOU/Getty Images

Cantora francesa Françoise Hardy luta contra o cancro e pede legalização da eutanásia. “Estou perto do fim”

“O meu sofrimento físico tem sido terrível”. Conhecida pelo êxito ‘Tous les Garçons et les Filles’, a cantora francesa Françoise Hardy pede que a deixem morrer

A cantora francesa Françoise Hardy, de 77 anos, luta contra o cancro desde 2018, ano em que lhe foi diagnosticado um tumor no ouvido, e assumiu estar "perto do fim" numa entrevista à revista Femme Actuelle.

A cantora pede a legalização da eutanásia em França e diz que gostava de poder morrer sem sofrimento. "O meu sofrimento físico tem sido tão terrível que temo que a morte me force a passar por ainda mais sofrimento", diz Hardy.

Impossibilitada de cantar e com dificuldades na fala, já tinha defendido que a "França é desumana" por não legalizar a morte medicamente assistida. Agora, acrescenta: "Não é que os médicos tenham de aprovar todos os pedidos, mas devem diminuir sofrimento desnecessário de uma doença incurável assim que ela se torna insuportável".

Antes do tumor no ouvido, a cantora já tinha lutado contra um linfoma, tendo estado em coma induzido no ano de 2015. Só sobreviveu porque os médicos lhe administraram um novo tratamento de radioterapia, mas foram precisamente esses tratamentos que diz terem tornado o sofrimento difícil de aguentar.

'Tous les Garçons et les Filles', canção que editou em 1962, transformou Françoise Hardy num fenómeno e num dos nomes de proa do movimento yé-yé. Em mais de 50 anos de percurso, a cantora editou dezenas de álbuns, sendo o mais recente "Personne d'Autre", de 2018.