Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Rodrigo Amarante

Getty Images

“Escrevi esta canção porque ter esperança não é suficiente”. Chegou finalmente 'I Can't Wait', novo single de Rodrigo Amarante

Depois da aclamada estreia a solo com “Cavalo”, há sete anos, o brasileiro Rodrigo Amarante lança finalmente um segundo disco em nome próprio. “Drama” chega em julho e tem um novo single. Pode conhecê-lo aqui

Rodrigo Amarante acaba de lançar mais um single do seu aguardado novo álbum. 'I Can't Wait' é o título da canção que antecipa "Drama", disco com edição marcada para 16 de julho. "Drama" sucede a "Cavalo" (2014), a aclamada estreia a solo do músico brasileiro que será, também, reeditado este ano.

"Escrevi esta canção porque Jesus é seguido por traidores", explica Rodrigo Amarante em comunicado de imprensa. "Escrevi-a porque as ideias de Darwin servem o propósito de nos virar uns contra os outros, na medida em que não acredito na definição de liberdade enquanto separação ou desconexão, como o dicionário sugere, mas como o reconhecimento da nossa interdependência, porque a liberdade é pertencer. Escrevi esta canção porque ter esperança não é suficiente."

Nascido no Rio de Janeiro em 1976, Rodrigo Amarante integrou a banda de grande sucesso no Brasil, Los Hermanos, formando mais tarde os Little Joy, a Orquestra Imperial e escrevendo canções para Gal Costa, Norah Jones ou Gilberto Gil. É também sua a canção do genérico da série "Narcos", 'Tuyo'.

Ultimado de forma solitária, devido à pandemia, "Drama" reflete esse isolamento: “O bloqueio e a limitação produziram ótimas ideias. Comecei o álbum querendo focar no ritmo e na melodia, abandonar aquelas ricas progressões de acordes e modulações que herdei do Brasil e ser mais direto. Enquanto escrevia, percebi que havia um gatilho para mim naquela tentativa, uma sombra do garoto de [cabelo rapado] que eu deveria ser, sugando-o. Em vez disso, abracei as complicações que herdei", explica, partilhando que, quando era criança, o pai lhe cortou os longos cabelos, numa tentativa de descarregar todo o drama e sensibilidade da sua jovem cabeça.

“Vestir-se como forma de revelar, em vez de vestir-se discretamente, é esconder, isso é Drama”, diz. "Uma ferramenta. Fazendo cócegas na memória para a confissão, vendo através dos olhos de uma máscara. Espreitar no espelho que está desempenhando um papel. Isso não é algo que eu tenha seguido, mas uma realização póstuma, algo que me seguiu, como sempre acontece. Essas músicas foram os instrumentos para realizá-lo, não o contrário", expõe.

Rodrigo Amarante regressa a Portugal em 2022 para tocar na Casa da Música, no Porto, a 18 de abril, e no Capitólio, em Lisboa, a 19 de abril.