Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Adolfo Luxúria Canibal, dos Mão Morta

Rui Duarte Silva

Adolfo Luxúria Canibal: “Sempre me marimbei para as consequências. Não faço música para sobreviver”

O vocalista dos Mão Morta, Adolfo Luxúria Canibal, é coordenador do programa autárquico do PS para Braga e garante não estar preocupado com eventuais consequências para a sua banda. “Tenho amigos advogados [com quem] às vezes estamos de acordo num abaixo-assinado e a primeira coisa que me dizem é: 'tenho clientes que podem pensar o contrário, não posso estar a pôr em causa a minha profissão por causa de uma ideia'. Sempre me marimbei para as consequências”

O vocalista dos Mão Morta, Adolfo Luxúria Canibal, que é coordenador do programa de Hugo Pires, candidato do PS à câmara de Braga, considera que os dois mandatos de Ricardo Rio (PSD) à frente daquela autarquia conduziram a cidade "à ruína e à irrelevância".

Questionado sobre se poderá haver consequências para os Mão Morta, caso a autarquia continue nas mãos do PSD, Adolfo Luxúria Canibal é claro: "Já fiz muita coisa na vida sem me preocupar com as consequências. Faço música pelo prazer, não faço música para sobreviver".

"Tenho amigos advogados [com quem] às vezes estamos de acordo num abaixo-assinado e a primeira coisa que me dizem é: 'Eu não posso assinar isso, sou advogado e tenho clientes que podem pensar o contrário, não posso estar a pôr em causa a minha profissão por causa de uma ideia.' Percebo perfeitamente, mas sempre me marimbei nas consequências", garante o artista, que é jurista de profissão.

A falta de uma política de habitação que evitasse o disparar dos preços das casas é um dos aspetos que aponta a Ricardo Rio. "As casas eram baratas no centro. Os preços agora estão extraordinariamente altos", afirmou o músico em entrevista à revista "Sábado".