Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Atriz Ellie Kemper pede desculpa por baile de debutantes “indiscutivelmente racista”

“A ignorância não é desculpa”, justificou a atriz norte-americana, que se viu envolvida em forte polémica nos últimos dias

A atriz Ellie Kemper desculpou-se publicamente por ter sido considerada "rainha do baile" durante um evento de gala, na adolescência, com conotações racistas.

Aos 19 anos, Kemper foi eleita "rainha" do "Veiled Prophet Ball", um evento organizado no século XIX por soldados da Confederação, que lutaram contra a abolição da escravatura nos Estados Unidos.

Em 1915, o mesmo baile passou a ser organizado pelo Ku Klux Klan (KKK), organização que defende a supremacia branca. A partir de 1979, o baile procurou romper com o seu passado, mas continuou a ser frequentado maioritariamente por caucasianos.

Em comunicado, a atriz não esconde que o baile "tem um passado indiscutivelmente racista, sexista e elitista", dias após ter sido criticada e apelidada de "rainha do KKK".

"Não sabia a história [do baile] à altura, mas a ignorância não é desculpa. Já tinha idade para aprender, antes de participar. Rejeito inequivocamente a supremacia branca e sei que, por culpa da minha raça e do meu privilégio, beneficio de um sistema que tem distribuído justiça e recompensa de forma desigual".

Leia aqui o comunicado de Ellie Kemper:

Instagram