Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Luís Duarte

Morreu Luís Duarte, nome destacado da história do Festival da Canção e da música portuguesa

Esteve ligado como músico, maestro e orquestrador a numerosas canções do Festival da Canção, e teve uma longa carreira ao lado de nomes como José Afonso, Paulo de Carvalho, Jorge Palma ou Fernando Tordo. Faleceu aos 71 anos

Morreu aos 71 anos o músico e maestro Luís Duarte, vítima de cancro.

Nascido a 8 de outubro de 1949, foi cantor, autor, compositor, baixista, maestro e professor de música. A sua carreira teve início na década de 70, desde logo com várias participações no Festival da Canção. Como intérprete estreou-se em 1973 com 'Minha Senhora das Dores', da autoria de Ary dos Santos e Fernando Tordo.

Fez parte de uma formação do Quarteto 1111 que participou em 1977 e voltou como artista solo em 1988, com o tema 'Quando A Noite Se Faz Certa'. Na final de 1992, foi a voz de 'Um Amigo Sempre à Mão'.

Como orquestrador, participou também em várias edições certame. Foi o maestro do tema Bem Bom, das Doce, que venceu o Festival em 1982 e foi à Eurovisão. Em 1989, foi também o maestro em 'Conquistador', dos Da Vinci, na gala europeia.

Ao longo da sua carreira esteve, como músico, ao lado de nomes como José Afonso, Paulo de Carvalho, Jorge Palma e Júlio Pereira, entre outros.

São várias as homenagens de que Luís Duarte tem sido alvo nas redes sociais. João Carlos Callixto, investigador e autor de várias obras sobre música em Portugal, sumarizou o percurso do músico: "Soubeste ser maestro, baixista e até cantor, escreveste ou ajudaste a escrever algumas páginas bem importantes da nossa Música. Estiveste ao lado de José Afonso, de Paco Bandeira, de Carlos Alberto Moniz, de Paulo de Carvalho, dos Da Vinci, das Doce, de José Barata Moura, de Jorge Palma, de Júlio Pereira, de Samuel, de Tonicha, de Fernando Tordo e de tantos, tantos outros... Andaste pela Música Antiga, na década de 60, e foste um 'Conquistador' na Eurovisão... Cantaste no Festival da Canção, desde logo em 1973 com a 'Minha Senhora das Dores' que o Ary e o Tordo te deram... Hoje a dor de saber que não conseguiste vencer esta luta deixa apenas a certeza de que todo o teu trabalho não será jamais esquecido!".