Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Marvin Gaye

Getty Images

Em 1971, Marvin Gaye escreveu uma carta ao futuro. 50 anos depois, vale a pena voltar a abri-la

Há 50 anos, Marvin Gaye olhava para o seu tempo e refletia sobre a condição negra, a ecologia, a violência e a redenção. “What's Going On” não era uma pergunta; eram notícias do mundo. Esta é a história de um dos discos mais importantes de todos os tempos

Berkeley, no estado norte-americano da Califórnia, tem o mais antigo campus do sistema universitário californiano e faz fronteira com Oakland, que, em 1970, possuía uma comunidade afro-americana que perfazia 35% da população da cidade. Nessa época, a tempestade perfeita varria as ruas da América: o Movimento dos Direitos Civis tinha esmorecido após o assassínio de Martin Luther King, Jr. em 1968; nesse ano, os Panteras Negras perderam o líder Huey P. Newton, acusado de matar um polícia em Oakland, a mesma cidade que também foi palco da execução, às mãos da polícia, de Bobby Hutton, jovem Pantera Negra de apenas 17 anos; os protestos contra a guerra do Vietname subiam de tom e o desemprego cifrava-se num máximo histórico. Esse clima, por um lado, e o testemunho direto de uma carga policial sobre manifestantes no campus de Berkeley, por outro, inspiraram Renaldo “Obie” Benson, cantor e baixista dos Four Tops, a escrever uma canção com um título que refletia a incredulidade perante esses acontecimentos: ‘What’s Going On?’.

Artigo Exclusivo para assinantes

BLITZ é uma marca do Expresso.

Já é assinante?
Comprou o Expresso? Insira o código presente na Revista E para continuar a ler