Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Paredes de Coura em 2019

Rita Carmo

João Carvalho (Paredes de Coura) afirma que há "falta de coragem política” para fazer festivais de agosto

O diretor do Vodafone Paredes de Coura, João Carvalho, lamenta a "falta de coragem política" para tomar decisões quanto aos festivais de agosto e garante que "alguma coisa" fará este ano. Meo Sudoeste e EDP Vilar de Mouros decidem em breve se avançam este verão

João Carvalho, diretor do festival Vodafone Paredes de Coura, afirmou que deverá decidir o destino da edição deste ano do evento minhoto na próxima semana.

O promotor lamenta a "falta de coragem política" por parte do Governo para assumir se os festivais podem ou não realizar-se em agosto e afirma que "alguma coisa" irá fazer este ano em Paredes de Coura. "Não sei se será um Paredes de Coura XS, se será um Paredes de Coura Club. Mas alguma coisa tenho de fazer", diz o empresário courense à rádio Observador.

O Vodafone Paredes de Coura está marcado para o período de 16 a 18 de agosto.

Por seu turno, Luís Montez, responsável máximo pelo Meo Sudoeste, marcado para a Zambujeira do Mar no início de agosto (de 3 a 6 daquele mês), lamenta a demora na comunicação dos resultados dos eventos teste e diz ao jornal "Público" que 15 de junho é a data limite para decidir se o festival alentejano se realiza ou não, este ano.

Marcado para o final de agosto (de 26 a 28 daquele mês), o EDP Vilar de Mouros também deverá decidir na próxima semana se vai para a frente este verão.

  • Festivais de verão à espera das regras da DGS: todos entram testados e a 'bolha' pode até dispensar uso de máscara

    Notícias

    Um dos maiores festivais no Porto, o MEO Marés Vivas, mantém a programação para 16 de julho, tendo já vendido mais de 20 mil bilhetes. Também o Festival de Paredes de Coura está a ser montado para se realizar a 18 de agosto. Mas tudo dependerá de 'eventos-piloto' que irão decorrer em Portugal após a última fase do desconfinamento, 3 de maio, para testar o formato seguro dos espetáculos, à semelhança do que tem sido feito em vários países da Europa. O Governo já aprovou o decreto-lei, prevendo os promotores que a Direção-Geral de Saúde emita regras concretas ainda este mês