Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Demi Lovato

Getty Images

Demi Lovato: “A culpa de não ter dito antes que sou pessoa não-binária é do patriarcado”

“São os homens que mandam na indústria, estão no centro de tudo”, diz Demi Lovato, explicando que só agora se assumiu como pessoa não binária devido à pressão exercida pelo patriarcado

Demi Lovato assumiu-se recentemente como pessoa não binária e defendeu agora que não o fez mais cedo por culpa do patriarcado, dos homens que dominam a indústria cultural.

“É o patriarcado que manda na indústria, estão no centro de tudo”, começa por dizer em conversa com Jane Fonda no site Fire Drill Fridays, "quando percebi isso, questionei-me 'de que formas é que o patriarcado me tem travado?'. Colocaram-me numa caixa e disseram-me 'és uma mulher, é suposto teres essa aparência, é suposto fazeres isso, não sonhes mais alto nem fales mais alto'".

Lovato disse-se otimista com o futuro, confessando que gostaria de ser um exemplo para outros: "só consigo encorajar as pessoas a encontrar mais compaixão e mais empatia pelos outros. Se isso é difícil para ti, tenta encontrar isso em ti para que possas aplicá-lo aos outros, porque é isso que nos vai aproximar".

Há duas semanas, Lovato partilhou um vídeo com os fãs no qual disse: "no último ano e meio tenho refletido e cheguei à conclusão de que me identifico como pessoa não-binária. Posto isto, vou mudar os meus pronomes. Sinto que [esta mudança] me permite representar melhor a fluidez de género que sinto e ficar mais perto da pessoa que sou e da que ainda estou a descobrir".