Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Corey Taylor

Corey Taylor recorda o momento em que se apaixonou pelos Slipknot. “Pensei ‘vou ser cantor desta banda’. Um ano depois, eles convidaram-me”

Antes de se juntar aos Slipknot como vocalista, Corey Taylor tornou-se fã da banda naquele que foi o seu primeiro concerto de sempre. Agora, o músico conta como previu que o grupo o ia convidar para cantar

Corey Taylor recordou o momento em que se tornou fã dos Slipknot, um ano antes de a banda o convidar para ser vocalista. Em conversa com Steve-O no podcast "Wild Ride", o músico norte-americano contou que assistiu ao primeiro concerto da banda, quando Anders Colsefni ainda era vocalista, e que saiu de lá impressionado.

"Quando fui àquele primeiro concerto, fiquei nas filas da frente. Eles vieram para junto do público e assustaram toda a gente!", recorda Taylor, "tinham as máscaras e umas indumentárias malucas. Abriram o concerto com três minutos de barulho e batidas explosivas".

O músico diz que se sentiu logo muito atraído pela sonoridade do coletivo e que pensou "um dia vou ser o cantor desta banda": "um ano depois, eles convidaram-me. Foi uma loucura".

"Na altura, eu era o melhor cantor em Des Moines e eles eram a maior banda de Des Moines", acrescenta Taylor, que antes de se juntar aos Slipknot já era líder dos Stone Sour, "e eles queriam ter aquela ferramenta extra, aquela bala extra na arma".

Recorde-se que os Slipknot surgiram no ano de 1995 e que Taylor só se juntou em 1997. O sucesso bateu-lhes à porta em 1999 com o álbum "Slipknot", que incluía os temas 'Wait and Bleed' e 'Spit It Out', mas em 1996 já tinham editado "Mate. Feed. Kill. Repeat", o único registo a contar com a voz do cantor original.