Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

António Manuel Ribeiro

Rita Carmo

António Manuel Ribeiro: “À entrada da esquadra ocorre-me: sou um homem e vou queixar-me de uma mulher. O que é que estes tipos vão pensar?”

“Só me faltou ser raptado. Durante um jantar em que recebo 50 SMS, digo a uma amiga: 'importas-te de ir comigo? Vou apresentar queixa hoje'. Decidi subir as escadas da esquadra e é aí que começa o processo”. No podcast Posto Emissor, o vocalista dos UHF reflete sobre as feridas causadas pela situação de 'stalking' de que foi vítima ao longo de uma década

António Manuel Ribeiro, líder dos UHF, é o convidado desta semana do Posto Emissor.

No momento em que lança “As Canções da Casa Escura”, um álbum a solo com temas que não couberam nos seus UHF, o músico de 66 anos faz uma viagem à infância passada sob a batuta de uma mãe de mão firme, reflete sobre um país “bipolar” e pondera sobre vários assuntos da atualidade.

Tocando nas as feridas causadas por uma demorada e penosa situação de 'stalking' de que foi vítima ao longo de uma década, António Manuel Ribeiro repisa, passo a passo, o momento em que deixou de aguentar a perseguição e decidiu participá-la às autoridades. “Só me faltou ser raptado. Durante um jantar em que recebo 50 SMS, digo a uma amiga: 'importas-te de ir comigo? Vou apresentar queixa hoje'. [Porém], à entrada da esquadra, ocorre-me: sou um homem e vou queixar-me de uma mulher. O que é que estes tipos vão pensar? Decidi subir as escadas e é aí que começa o processo”.

Para ouvir a partir dos 42 minutos e 22 segundos do Posto Emissor: