Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Família de Chris Cornell chega a acordo "confidencial" com antigo médico do músico

A família de Chris Cornell acusou o seu antigo médico de lhe receitar, "de forma repetida e negligente", medicamentos que reduzem a capacidade de tomar decisões racionais e controlar os impulsos. A viúva e os filhos do músico dizem também ter sido ameaçados "pelos trolls da net" nos últimos meses

A família de Chris Cornell chegou a acordo judicial com o antigo médico do músico.

Em 2018, a viúva de Chris Cornell e os seus filhos, Toni e Christopher, acusaram Robert Koblin de "repetidamente e de forma negligente receitar-lhe substâncias perigosas e capazes de alterar o estado mental [do paciente]", considerando que as mesmas prejudicaram o discernimento do artista, levando-o a ter "comportamentos perigosos e impulsivos que lhe custaram a vida".

Agora, a família chegou a acordo com o médico e a clínica onde o mesmo trabalha. Os pormenores do mesmo não serão revelados mas, segundo a Rolling Stone, a família de Chris Cornell acusa "os trolls da net e outros indivíduos instáveis" de os terem ameaçado, colocando em risco, nos últimos meses, a vida dos filhos do vocalista dos Soundgarden.

Chris Cornell morreu em maio de 2017. A autópsia determinou que o norte-americano se suicidou e que as drogas presentes no seu organismo não foram a causa direta da sua morte, apontando porém que o consumo de doses excessivas de Lorazepam pode aumentar o risco de suicídio, ao diminuir a capacidade de controlar os impulsos e prejudicar o pensamento racional.