Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

“Por estranho que pareça, o Freddie Mercury era o diplomata nos Queen. Toda a gente pensa que ele era indomável, mas era muito pragmático”

Brian May, guitarrista dos Queen, recorda as dinâmicas dentro do grupo, lembrando que a discussão e os conflitos eram constantes. Freddie Mercury, por inesperado que possa soar, era o ‘fiel da balança’. “Se ele visse alguma tensão entre mim e o Roger [Taylor, baterista], ele arranjava maneira de encontrar uma solução, um compromisso”

Brian May deu uma entrevista à revista "Classic Rock", na qual abordou alguns dos períodos mais difíceis da carreira dos Queen.

O guitarrista admitiu que, se não fosse por Freddie Mercury, "eu e o Roger [Taylor, baterista], nunca teríamos ficado juntos".

"Estamos alinhados em muitas coisas, mas somos o oposto em tudo o resto", revelou. "Não há um único tema sobre o qual não tenhamos opiniões contrárias".

"Por estranho que pareça, o Freddie Mercury era o diplomata nos Queen. Toda a gente pensa que ele era indomável, mas era muito pragmático. Se ele visse alguma tensão entre mim e o Roger, ele arranjava maneira de encontrar uma solução, um compromisso", continuou.

Hoje em dia, Brian May descreve a sua relação com Roger Taylor como sendo uma de "irmandade". "Hoje em dia, percebemos o que há de bom, porque já vimos de tudo e nos valorizamos um ao outro", disse.

"Sabemos que somos mais fortes juntos que separados. Se alinhamos as nossas energias, a magia acontece".