Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

“Racismo não é comédia”. A 'hashtag' que os fãs dos BTS levaram ao top de tendências no Twitter

Um sketch envolvendo a 'boy band ' sul-coreana BTS “incendiou” o Twitter no passado fim de semana

Uma paródia da banda sul-coreana BTS, transmitida pela televisão chilena, desencadeou uma reação intensa por parte dos fãs daquele grupo, indignados com o que consideram ser um sketch racista, alicerçado em estereótipos sobre asiáticos.

No sketch, transmitido no passado sábado, os BTS foram associados ao ditador norte-coreano, Kim Jong-un, passando a ser tratados por Kim-Jong-Uno, Kim Jong-Dos, Kim Jong-Tres, Kim Jong-Cuatro e Juan Carlos. Os atores que desempenharam o papel dos músicos fingiram também falar coreano.

O que os autores do sketch talvez não esperassem é que os fãs dos BTS se unissem, na internet, para denunciar o que consideram ser uma paródia racista e xenófoba.

A hashtag #RacismIsNotComedy, ou seja, racismo não é comédia, rapidamente se espalhou no Twitter, tornando-se o tópico mais discutido no Twitter este fim de semana.

A indignação dos fãs prende-se, também, com o facto de os crimes contra asiáticos terem aumentado, nos últimos meses, por associação do continente asiático à origem da pandemia de covid-19.

Em resposta a estas críticas, os responsáveis do programa "Mi Barrio" prometeram "continuar a melhorar, aprender, ouvir e aperfeiçoar a nossa intenção: entreter as famílias".

Os BTS ainda não comentaram este caso mas, em março, afirmaram já ter sido alvos de discriminação racial. "Condemanos a violência. Tu, eu e todos nós temos o direito a ser respeitados", escreveram então.