Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Ted Nugent, músico negacionista: “Porque é que não fechámos tudo do covid-1 ao covid-18?”

O músico norte-americano, conhecido pelas suas posições conservadoras e negacionista da pandemia, está enfurecido por novo cancelamento de digressão e apresentou factos falsos

Durante um direto no Instagram, Ted Nugent lamentou o facto de ter sido obrigar a cancelar uma nova digressão devido à pandemia da covid-19 - e apresentou factos falsos sobre a doença.

Conhecido pelas suas posições de extrema-direita, o músico começou por descrever a pandemia como "uma mentira, um embuste", e afirmou que as restrições em vigor para a combater constituem "uma farsa".

"Sou viciado na verdade, na lógica e no senso comum. Pergunto: porque é que não fechámos tudo do covid-1 ao covid-18?", disse.

Nugent está, naturalmente, equivocado: o "19" da doença refere-se ao ano em que foi descoberta, e não a uma qualquer variante da "covid".

O autor de 'Cat Scratch Fever' deu também dados falsos relacionados com a letalidade da doença, cifrando a sua taxa de mortalidade em escassos 0,2%. Segundo os especialistas, o valor desta taxa pode variar consoante a idade, o peso ou a existência de doenças crónicas num determinado doente.

Nugent sugeriu ainda que o número de mortes provocadas pela covid-19 foi virtualmente inflacionado. "Dizem que morreram 500 mil pessoas. Tretas. Acredito que os médicos tenham sido obrigados a dizer que mortes por asfixia foram provocadas pela covid".

Estima-se que o número de mortes, só em território norte-americano, derivadas da covid-19 tenha já ultrapassado as 559 mil, tendo-se registado cerca de 31 milhões de infeções.