Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

The Gift

The Gift comparam algoritmo do Facebook à Inquisição. “Não sabemos quem chumba e porque os nossos posts não chegam aos 375 mil amigos”

“Não podemos estar a trabalhar dependendo de alguém que não conhecemos e que [decide se] faz ou não passar a mensagem aos nossos fãs”, defendem Nuno Gonçalves e Sónia Tavares, dos Gift, sobre a “ditadura do gosto” das redes sociais

Nuno Gonçalves, dos Gift, comparou o algoritmo do Facebook a um "dedo de muita inquisição" que impede a sua banda de chegar aos "375 mil amigos" que tem na rede social.

Em entrevista à revista Vogue Portugal, o músico e a vocalista Sónia Tavares, explicam que essa foi uma das razões que os levou criar a aplicação REV.

"Se nós em 1998 criticávamos o papão editorial, uma pessoa atrás de uma secretária que decidia que disco ia lançar e que público ia atingir com esses lançamentos, hoje em dia há um algoritmo, que é um dedo de muita inquisição", defende Gonçalves.

O músico diz que o referido algoritmo não é como a pessoa da editora que "tinha cara, tinha gosto, tinha uma editora a defender e tinha estudos". "Não sabemos quem é que chumba, por que razão é que os nossos posts não chegam aos 375 mil amigos nossos no Facebook".

"O meio está muito controlado. E isso é uma ditadura de gosto. Não podemos estar a trabalhar enquanto artistas dependendo de alguém que não conhecemos e que nos faz ou não passar a mensagem aos nossos fãs”, conclui.

Recorde abaixo o episódio do Posto Emissor, o podcast semanal da BLITZ, com Nuno Gonçalves, durante o qual o músico disse: "É muito difícil uma banda com 100 amigos no Facebook entrar num cartaz de um festival de verão".