Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Eurovisão 2021

NPO/AVROTROS/NOS

Ódio contra homens, palavrões e gestos ofensivos. Três canções que estão a deixar a Eurovisão à beira de um ataque de nervos

Faltam dois meses para a Eurovisão, mas o concurso já faz correr muita tinta com polémica atrás de polémica

Depois da ameaça de desqualificação da Bielorrússia devido ao contexto político da sua canção e da mensagem subliminar no vídeo da canção da Macedónia do Norte, a Eurovisão vê-se a braços com mais polémicas.

A dois meses de se realizar, em Roterdão, na Holanda, o concurso tem agora de lidar com três novas situações. 'Russian Woman', a canção russa, interpretada por Manizha, está a ser altamente criticada por grupos conservadores por, alegadamente, "incitar ao ódio contra homens", e poderá ser investigada por "possíveis declarações ilegais".

Por seu lado, a letra da canção italiana, 'Zitti E Buoni', dos Måneskin, teve de ser alterada devido aos palavrões utilizados na versão original - o regulamento do concurso não permite o recurso a palavrões. Os versos alterados foram "Vi conviene toccarvi i coglioni" e "Non sa di che cazzo parla".

Já aos finlandeses Blind Channel, que levam a canção 'Dark Side' à Eurovisão, foi-lhes pedido que não mostrassem os dedos do meio na atuação, coisa que fizeram na atuação que lhes deu a vitória no concurso nacional finlandês - o primeiro verso da canção é precisamente "put your middle fingers up" ("mostrem o dedo do meio").