Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Lena d'Água

Rita Carmo

Lena d'Água: “Por causa de um arquiteto na Nova Zelândia, ao fim de 35 anos dois temas meus são descobertos do outro lado do mundo”

Como, inesperadamente, a música de Lena d'Água esgotou três edições de um disco lançado na Nova Zelândia “por causa de um tipo dos Antípodas”. “Tive pena que o Luís Pedro [Fonseca, compositor das canções] já cá não estivesse para ver”. Para ouvir no Posto Emissor

Lena d'Água falou, no Posto Emissor, podcast semanal da BLITZ, da forma como a sua música dos anos 80 chegou ao circuito de colecionadores de vinil e às pistas de dança internacionais, devido à reedição, em vinil, dos temas 'Jardim Zoológico' e 'Tao'.

"[Trata-se] de uma edição feita por um arquiteto na Nova Zelândia, que tem uma paixão por músicas do mundo vintage", conta Lena d'Água, referindo que as três edições do vinil acabariam por esgotar.

"Tive pena que o Luís Pedro [Fonseca, compositor das canções] já cá não estivesse para ver”, lamenta. "Ele sempre se sentiu pouco considerado."

Ouça Lena d'Água falar sobre esta edição que junta os temas 'Jardim Zoológico', de 1983, e 'Tao', de 1986, e que na capa (que a cantora mostra neste vídeo) apresenta uma foto sua com a Banda Atlântida, tirada por Luís Vasconcelos, pai da artista Joana Vasconcelos e autor de numerosas capas de discos históricos da música nacional.

A partir dos 32m 16s:

No ano passado, o guitarrista Mark Speer, dos norte-americanos Khruangbin, falou à BLITZ sobre este single de Lena d'Água.