Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

A opinião de Corey Taylor dos Slipknot sobre a ‘cancel culture’: “O mais perigoso é quando a multidão decide que já foste”

“Já não há sátira, já não há ironia. Quando as pessoas não percebem as diferenças entre metáfora e realidade é porque estamos metidos num grande sarilho”

Em entrevista à rádio norte-americana KLOS, Corey Taylor insurgiu-se contra a chamada "cancel culture", na sequência das críticas que têm sido feitas a Eminem.

O vocalista dos Slipknot chegou mesmo a comparar a "cancel culture" a uma "caça às bruxas", afirmando que "quando as pessoas não percebem as diferenças entre metáfora e realidade é porque estamos metidos num grande sarilho".

"O mais perigoso é quando a multidão decide que já foste", continuou. "Este nível de censura que estamos a constatar... E não digo que não tenham sido ditas certas coisas que facilmente ofendem as pessoas, mas o lado negativo é que já não se podem fazer piadas".

"Já não há sátira, já não há ironia. Tudo é raiva", rematou.