Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Defesa de Trump recorre a vídeos de Madonna e Johnny Depp para mostrar que houve violência contra o ex-presidente

Frases proferidas por Madonna e Johnny Depp numa manifestação e num festival de música, respetivamente, estão a ser usadas pela defesa de Donald Trump no processo de “impeachment”

Os advogados de defesa de Donald Trump, no segundo processo de destituição de que o ex-presidente foi alvo, recorreram a vídeos com declarações de Madonna e Johnny Depp como provas.

No vídeo, filmado na "Marcha das Mulheres", em 2017, Madonna é ouvida a dizer já ter "pensado muitas vezes em explodir com a Casa Branca".

No mesmo ano, Depp afirmou, no festival de Glastonbury, que Trump "precisa de ajuda" e ponderou: "quando foi a última vez que um ator assassinou um presidente?".

O advogado Michael Van der Veen explicou, no senado, ter recorrido a estes dois vídeos para demonstrar que as declarações de Trump - que terão levado à invasão do Capitólio, a 6 de janeiro - "são protegidas por lei, e deverão ser protegidas" da mesma forma que outras.

Caso seja condenado, Donald Trump nunca mais poderá voltar a candidatar-se a um cargo público, o que significaria que quaisquer planos de voltar à presidência em 2024 ficariam por terra.