Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Getty Images

Testes falhados e “olhos vidrados”. Tudo sobre a detenção de Bruce Springsteen em novembro

Foi submetido a dois testes diferentes de sobriedade – um visual e outro que consiste em dar 18 passos – e terá falhado em ambos. Segundo a polícia, tinha hálito a álcool e olhos vidrados. Fonte próxima do artista afirma à CNN que é tudo um exagero

Foram revelados mais detalhes acerca da detenção de Bruce Springsteen, por condução sob o efeito de álcool, em novembro passado.

Num relato divulgado pela CNN, um polícia afirma ter visto Springsteen a consumir um shot de tequila, antes de subir para a sua mota e ter ligado o motor. O músico ter-lhe-á revelado ter consumido dois outros shots, nos 20 minutos precedentes.

Ainda segundo o mesmo polícia, Springsteen "tinha os olhos vidrados e hálito a álcool".

A revista Vulture escreve que ao músico foi pedido que cumprisse dois testes diferentes de sobriedade, um visual e outro que consiste em dar 18 passos, os quais falhou.

No entanto, o Asbury Park Press afirma que a taxa de alcoolémia de Springsteen era de apenas 0,02, muito longe do limite máximo permitido pelo estado de Nova Jérsia.

Fonte próxima do músico disse à CNN que "as pessoas terão sérias dúvidas em relação à seriedade deste caso, especialmente quando forem conhecidos todos os detalhes".

Para Gless Kassman, advogado de defesa especialista em casos semelhantes de condução sob efeito de álcool, as acusações feitas contra o "Boss" serão difíceis de provar.

"Existe uma grande diferença entre causa provável de detenção, por suspeitas de condução sob o efeito de álcool, e provas de que ele o tenha feito", disse à Rolling Stone.