Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Chris Crocker em 2007

14 anos depois de gritar “Leave Britney Alone”, Chris Crocker volta a falar: “Ninguém me levou a sério. Agora sabem que tinha razão”

“Espero que a Britney conquiste a liberdade que merece”. Fenómeno viral de 2007, que chorou e gritou em vídeo para deixarem a cantora em paz, reagiu nas redes sociais ao novo documentário "Framing Britney Spears"

Em 2007, Chris Crocker, então adolescente, tornou-se viral depois de gravar um vídeo no qual chorava e gritava para deixarem Britney Spears em paz. 14 anos volvidos o homem de "leave Britney alone" deixou uma mensagem nas redes sociais na qual reagiu ao debate sobre o novo documentário "Framing Britney Spears" ("Tramando Britney Spears").

"Talvez agora me soubesse bem se as pessoas me viessem dizer 'Chris, tu tinhas razão'", escreveu o blogger e ator de filmes para adultos, "isto se conseguissem perceber que a razão pela qual ninguém me levou a sério se deveu ao facto de ser um adolescente andrógino e que a reação na altura foi transfóbica".

Defende, assim, que o facto de ter dito o que disse no vídeo "nunca foi o problema". "O Michael Moore disse o mesmo e ninguém sequer pestanejou", afirma, referindo-se às declarações do realizador e ativista político, em entrevista ao talk show Larry King Live, incluídas no novo documentário.

Crocker recorda depois as ameaças de morte que recebeu em casa da avó. "O ódio também vinha da comunidade LGBT. Fui atacado verbalmente e fisicamente em bares gay e na rua por pessoas LGBT que se sentiam envergonhadas pela forma como os meia gozavam comigo", desabafa, "isto foi antes do Drag Race, antes de todos e mais as suas mães andarem por aí a dizer 'Yasss queen!'".

"Espero que a Britney conquiste a liberdade que merece, mas também que pessoas efeminadas não sejam torturadas nos media ao mostrarem a sua humanidade", conclui.