Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Manel Cruz

Rita Carmo

Manel Cruz: “Para ser de esquerda não basta andar com cravo na lapela. A falta de empatia determina mais a conversa do que a opção política”

“A luta hoje é a empatia. Nós precisamos de confiar nos outros. Não confiar é não existir. Temos a obrigação de sermos empáticos, senão não nos podemos queixar do estado das coisas”. Manel Cruz no podcast Posto Emissor

Em entrevista ao Posto Emissor, podcast semanal da BLITZ, Manel Cruz defendeu o papel na empatia no diálogo com os outros.

Assumindo-se como politicamente "mais à esquerda", o músico realça contudo que "para ser de esquerda não basta andar com cravo na lapela". "A falta de empatia determina mais a conversa do que a opção política", defende o músico do Porto, com percurso feito nos Ornatos Violeta, Pluto, Supernada e Foge Foge Bandido, e que em 2019 lançou "Vida Nova", o seu primeiro álbum a solo.

“A luta hoje é a empatia. Nós precisamos de confiar nos outros. Não confiar é não existir. Temos a obrigação de sermos empáticos, senão não nos podemos queixar do estado das coisas”, acrescenta.

Ouça esta resposta de Manel Cruz pelos 16 minutos e 35 segundos do Posto Emissor.