Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Joe Exotic

Joe Exotic continua na cadeia: “Fui demasiado ingénuo e demasiado gay para merecer o perdão de Trump”

"Os amigos corruptos dele estão primeiro", afirma o "Tiger King", que chegou a alugar uma limusina para abandonar a prisão em grande estilo, confiando num indulto de Trump que não chegou

Joe Exotic, o ex-dono de um zoo que se tornou uma estrela com a série documental "Tiger King", já reagiu ao fato de não ter recebido um indulto presidencial por parte de Donald Trump: "fui demasiado inocente e demasiado gay para merecer o perdão de Trump".

"Só fui importante para o Don Jr. [filho de Trump] quando ele precisou de fazer um post sobre mim para ganhar mais força nas redes sociais", acrescenta Exotic num post no Twitter, "como fomos estúpidos por acreditarmos que ele defendia justiça igual para todos. Os amigos corruptos dele estão primeiro".

Condenado a 22 anos de prisão por ter contratado pessoas para matar a sua rival, Carole Baskin, e por crimes contra animais, Exotic tinha já programado a sua saída da prisão, alugando uma limusina para o levar a casa.

O seu nome, contrariamente ao do rapper Lil Wayne, não constou da lista de mais de 100 indivíduos que receberam o perdão de Trump no final do seu mandato presidencial.