Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Isaura

Rita Carmo

Isaura, doente de cancro no auge da pressão covid. Um depoimento sobre cansaço, democracia e sobrevivência

“Entre consulta médica e tratamento houve tempo para falar com médicos e enfermeiros sobre o cansaço, o desespero e falta de noção da maioria das pessoas”, escreve Isaura num testemunho sentido

Isaura partilhou com os seus seguidores de Instagram um longo e sentido testemunho sobre aquilo que vê no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, na fase mais grave da pandemia de covid-19 em Portugal, quando se desloca para os tratamentos do cancro da mama.

"Vir ao hospital é um duplo reality check para mim", começa por escrever a artista, "vivo os meus dias com uma vontade aguerrida de voltar à normalidade, à Isaura pré-diagnóstico, mesmo sabendo que essa Isaura já não existe. Transformei-me de tantas formas e tantas vezes que não conseguiria por em palavras aqui, no Instagram".

Explicando que "o primeiro reality check" é o facto de "o cancro da mama [ser] um processo de uma vida inteira, literalmente", Isaura acrescenta: "o segundo, e que achei importante partilhar convosco, é o ambiente de cansaço e desespero que se sente no Hospital Santa Maria".

"Entre consulta médica e tratamento houve tempo para falar com médicos e enfermeiros sobre o cansaço, o desespero e falta de noção da maioria das pessoas", continua, "ao que parece estão a construir mais um barracão para acomodar os casos covid que atingiram hoje um número astronómico. Aqui na oncologia já houve enfermeiros recrutados para apoiar os serviços que colapsam".

Aproveitando para deixar um pedido aos fãs, "hoje, nas próximas semanas, é mais importante do que nunca não facilitar", a artista conclui fazendo um apelo ao voto nas eleições presidenciais do próximo domingo. "Queria também relembrar que as devidas precauções com material de proteção individual, higienização e distância social permitem a deslocação ao local de voto no domingo".

"Ir votar para evitar fascismo, racismo, xenofobia, machismo e misoginia também é uma questão de sobrevivência. Vai correr tudo bem!, vamos continuar (mais) focados!". Leia o texto de Isaura na íntegra abaixo.