Perfil

Blitz

Uma parceria com o jornal EXPRESSO

Notícias

Manuel João Vieira

Rita Carmo

Manuel João Vieira: “Só Portugal pode acabar com este pesadelo chamado Portugal”

Num 'live streaming', Manuel João Vieira voltou a vestir a pele de Candidato Vieira e comentou assuntos como o liberalismo (“está à beira de matar toda a gente”) e os vários candidatos à presidência. Garantiu ainda desistir da política e fazer a barba se tiver menos votos que um deles – o que acontecerá sempre, dado que o Candidato não é, novamente, candidato

Manuel João Vieira fez uma comunicação aos seus fãs, através de um live stream no seu Facebook. Voltando a vestir a pele de Candidato Vieira, o músico começou por tocar o hino português, antes de se dirigir a "consumidores, abstencionistas, fugitivos aos impostos, banqueiros corruptos, portugueses em geral".

"Tive um pesadelo. Estava toda a gente em casa, doente, com uma coisa que se apanhava sem sequer ser por contacto sexual. E eu procurava desesperadamente no boletim de voto a minha cara e a minha cara não estava no boletim de voto!", conta.

Manuel João Vieira prossegue então para uma análise dos vários candidatos às eleições presidenciais do próximo dia 24 de janeiro, deixando de fora André Ventura ("espero não me estar a esquecer de nenhum, mas acho que não", diz no fim).

Considerando que Marcelo Rebelo de Sousa, Ana Gomes e Marisa Matias são todos "bons candidatos sociais-democratas", o artista refere-se a Vitorino Silva como "o único candidato que tem um trabalho" e a Tiago Mayan (no seu dizer, Carlos Mayer) como ultraliberal. "É uma coisa que apareceu nos anos 80 com o Ronaldo Reagan e a Margarida Thatcher", explica, desenvolvendo: "O neoliberalismo parece melhor do que o Hitler e o Estaline, mas o Hitler e o Estaline só mataram milhões e milhões de pessoas. Mas o neoliberalismo, segundo a minha amiga Greta [Thunberg], pode matar muitos mais milhões de pessoas com esta coisa do esquentamento global. Comigo isso não vai acontecer: o neoliberalismo está à beira de conseguir matar toda a gente mas se não me matar a mim, estou-me a c**ar".

Perante a "catástrofe civilizacional, ecológica e desportiva que ameaça todo o planeta, e principalmente Portugal", o Candidato Vieira defende que "Portugal pode ser o farol do universo. Um farol pequeno, mas visível no fundo do túnel. Uma espécie de um farolim, uma Famel Zundapp. Por alguma coisa Portugal inventou a civilização, a roda, o alfabeto".

"Só Portugal pode acabar com este pesadelo chamado Portugal, ou este sonho maravilhoso chamado Portugal", acrescenta ainda, prometendo que desiste da política e faz a barba se tiver menos votos que Ana Gomes, "o que vai ser difícil, porque não vou às eleições".

Veja aqui o vídeo de Candidato Vieira, que diz que se candidatará às próximas presidenciais e promete tornar todos os portugueses milionários e donos de Ferraris.